A realidade não tem graça

Eu não sou mutante. Eu não faço parte de nenhuma liga de super-heróis. Também não saio por aí combatendo o crime sozinha. Eu não ganhei na loteria. Eu não troco correspondências com nenhum habitante do planeta Kepler 22-B. Para falar a verdade, eu nunca conheci nenhum alienígena.

Eu não tenho uma cauda. Eu não sou Jesus Cristo reencarnado. Ou Buda. Ou Saramago. Não tenho nenhum amigo que tenha nascido há mais de cinco mil anos. Também não conheço ninguém que tenha conseguido a imortalidade e depois enlouquecido por não conseguir morrer. Eu não sou uma espécie pré-histórica recentemente descoberta nos esgotos de uma grande cidade. Também não conheço ninguém que tenha feito uma descoberta do tipo.

Eu não acordei transformada em uma barata. Eu nunca viajei no tempo. Nem para a época em que essa terra era dos índios e dos espíritos da floresta, nem para daqui a seiscentos mil anos, quando provavelmente haverá algo que valha a pena ser visto.

Eu não moro em uma casa assombrada por demônios vingativos que derrubam panelas e vestem as minhas roupas para aparecer de madrugada nos corredores. Eu não vejo dinossauros pela minha janela enquanto trabalho. O governo não está trabalhando em uma vacina para conter a epidemia que faz as pessoas perderem os sentidos gradualmente, começando com o olfato e indo até a visão.

Por isso, eu fico esperando encontrar alguém que me conte coisas assim. Mas eu leio os blogs e ninguém fala sobre pessoas que não existem. Todos parecem interessados demais na realidade, em diálogos que aconteceram, em pessoas que conheceram, em notícias que os jornais deram.

Um cara muito famoso uma vez disse que a ficção existe para que a realidade não nos destrua. Algo mais ou menos assim. Não que a realidade não nos sirva; ela apenas não tem graça. Quer dizer, até tem. Porque podemos viver em um mundo que não tem lobisomens ou super-heróis, mas o sentido de viver nesse mundo é justamente poder inventar tudo isso.

16737778884_86f2655cf8_k

Fotografias: Jack in the Green Festival Hastings, por Duncan Price // Flickr Creative Commons

Escritora, ilustradora, ilusionista. Conto quem eu sou um livro por vez.

Site Footer

Sliding Sidebar

Receba novos posts por email

Saiba em primeira mão quando tiver leitura nova por aqui, beibe

Visite minha loja

Apoie

Instagram

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram access token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram access token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

Minha central de newsletters